Residência Multiprofissional em Saúde

Residência Multiprofissional em Saúde

 

Área: ATENÇÃO BÁSICA

Cursos : Biomedicina, Ciências Biológicas, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Serviço Social, Terapia Ocupacional
 

A Residência Multiprofissional em Atenção Básica em Saúde constitui uma proposta de formação pós-graduada, realizada em serviço e sob orientação docente-assistencial, abrangendo o Sistema Único de Saúde (SUS) e as políticas públicas que envolvem as principais áreas de interface com os fatores condicionantes e determinantes dos níveis de saúde das pessoas e coletividades e um conjunto de dispositivos sanitários, educacionais e socioculturais que seguem uma visão integrada das várias dimensões da vida, em diferentes e múltiplos âmbitos da intervenção em Atenção Básica em Saúde e das redes prioritárias cujo cuidado é ordenado a partir dela.

Trata-se de uma formação voltada para o trabalho multiprofissional e interdisciplinar, visando ao desenvolvimento de capacidades ampliadas de atuação laboral diretamente nos serviços de atenção básica, no apoio ao trabalho nesses serviços e nas estratégias de organização e regulação do acesso às redes prioritárias, com a superação da perspectiva tecnicista do desenvolvimento profissional na saúde, assim como a construção de um novo perfil de trabalhador de saúde, atento e sensível aos diversos aspectos das necessidades individuais e coletivas a saúde. A atenção básica em saúde é concebida no SUS como a principal porta de entrada no sistema de saúde, a base de reorientação do modelo de atenção e o ponto de orientação do cuidado oferecido às pessoas e coletividades, de tal forma que o percurso dos mesmos pelo sistema de saúde se caracterize por linhas de cuidado integral e não pela oferta desordenada de ações e procedimentos. Os serviços ambulatoriais e, sobretudo, aqueles de abrangência territorial, onde o destaque é a atenção primária, em particular das Equipes de Saúde da Família e os demais recursos assistenciais associados às Unidades Básicas de Saúde, têm sido os principais vínculos dos profissionais de saúde, em particular a partir da implementação do SUS, onde tiveram um crescimento expressivo. Para dar conta da complexidade das condições de produção de saúde nos territórios, o trabalho na Atenção Básica em Saúde, para se tornar eficaz, necessita ser orientado de forma adequada no interior do sistema de saúde, ter profissionais de saúde com capacidades de atuação singularizadas, ser apoiado por estratégias da gestão central, absorver a educação permanente na sua organização e ter condições de mobilizar serviços especializados, particularmente nas áreas consideradas estratégicas para o SUS e que compõem as redes prioritárias. A capacidade laboral dos trabalhadores que atuam diretamente nas Equipes de Atenção Básica, nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), na gestão da Atenção Básica e das redes prioritárias e nas estratégias de matriciamento e educação permanente utilizadas para o desenvolvimento do trabalho são pontos chave na implementação das orientações das políticas do SUS para a atenção básica.